quarta-feira, 12 de julho de 2017

A mulher sábia

" A sábia mulher que, com sua atitude, livrou sua cidade de ser destruída!"

Há um versículo que "é chave" na vida de uma mulher:
"A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos a derriba." (Pv 14.1)

Quando lemos 2 Sm 20, todo o contexto, encontramos no verso 16 em diante "uma mulher que, com sua sabedoria, ela não edificou apenas a sua casa, mas trouxe livramento pra toda a sua cidade, que se não fosse por seu discernimento, com certeza teria sido destruída e muitas vidas teriam sido tiradas, muitos inocentes sofreriam, porisso sua atitude foi considerada sábia." Essa mulher com certeza tinha sabedoria vinda de Deus, pois ela mesma declara mais a frente que era uma serva fiel e uma mulher pacificadora.

Quando Joabe, comandante chefe do exército de Davi pretendia invadir a cidade de Abel-Bete-Maaca onde essa mulher morava para perseguir e matar um inimigo do rei Davi chamado Seba, ela, percebendo que aquela invasão da cidade a destruiria, aproxima-se então próximo ao muro da cidade e grita de lá de dentro por Joabe, pedindo para falar com ele, ela desejava interceder por sua cidade, conforme está escrito:

v.20.16 "Então, uma mulher sábia gritou de dentro da cidade: Ouvi, ouvi; dizei a Joabe: Chega-te cá, para que eu fale contigo."

v.17 "Chegando-se ele, perguntou-lhe a mulher: És tu Joabe? Respondeu: Eu sou. Ela lhe disse: Ouve as palavras da tua serva. Disse ele: ouço."

v.19 "Eu sou uma das pacíficas e das fiéis em Israel; e tu procuras destruir uma cidade e uma mãe em Israel; por que, pois, devorarias a herança do Senhor?"

Essa "mulher que gritou" talvez seja o primeiro confronto de Joabe com alguém do sexo oposto numa batalha. Graças à ousadia e discernimento dessa mulher sábia, sua cidade, Abel-Bete-Maaca, foi salva de uma calamidade. Ela apelou diretamente para Joabe como comandante chefe do exército atacante, falando da boa reputação da cidade que ele estava prestes a destruir. Os habitantes de Abel eram homens e mulheres fiéis de Israel; a cidade servia de "mãe" para outros vilarejos ao seu redor e era um lugar conhecido por resolver pacificamente suas diferenças.

Essa mulher corajosa exigiu respeito pelo seu povo. Quando chegou a um acordo com Joabe, também persuadiu o povo a sacrificar Seba para salvar a cidade.

Fonte Aprendendo com as mulheres da Bíblia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Rispa uma testemunha silenciosa

Apesar de  ter pouco ou nenhum controle sobre sua própria vida, Rispa ainda conseguiu manter seu senso de dignidade. ✽ Rispa, concubina d...