Mulher um projeto de Deus...

Mulher um projeto de Deus...

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Não Quero Ser a Mulher de Provérbios



“É claro que Deus entende que eu trabalhe fora, preciso dar o melhor que eu posso pra os meus filhos! Hoje os tempos são outros. Em tempos de crise, tenho que trabalhar e trabalhar mais. Nenhuma mãe quer que seus filhos não tenham uma boa educação e por isso vou trabalhar mais e colocá-los numa escola melhor, e eles terão oportunidades de conhecer outras pessoas, aprenderão xadrez, inglês, francês, chinês, aramaico, grego. O que tem de errado nisso? Vou dar condições para que eles estudem fora do país. Vou trabalhar um pouco mais, e não importa se algumas vezes eu estiver tão cansada que não possa brincar ou me dedicar a eles, Deus também entende que fico cansada. Até porque, é pra isso também que trabalho, pra colocar babás qualificadas para cuidar deles enquanto estou fora. As vezes também não terei tempo pro meu marido. Mas é só as vezes. O que pode haver de errado? Eu estudei a minha vida inteira, acabei de ingressar numa faculdade dos meus sonhos. Não irei me casar antes de ter meu próprio emprego, afinal, meus pais me ensinaram que o emprego é meu primeiro marido, porque quando eu casar e der errado, não vou mendigar nem ficar num casamento falido. E ainda outra coisa, seria uma humilhação ter que pedir dinheiro até pra comprar absorvente ou um batom…”
Você concordou com alguma coisa descrita acima? Então continue lendo e entenda porque você, mulher cristã, está completamente equivocada e não entendeu absolutamente nada sobre o projeto de Deus para a mulher.
Primeiro de tudo, se você quiser agradar a Deus, precisa se esforçar para ser a mulher virtuosa, mesmo tendo sido a vida inteira moldada a não ser nem querer ser tal mulher. Mas aqui tratarei das mulheres que tão manhosamente e de forma egoísta não querem ser a mulher de Provérbios 31 e por isso não vou fazer cerimônias. Não por achar que é difícil demais ou por não estarem prontas, mas por estarem ocupadas demais em olhar para seu próprio umbigo, choramingarem e relativizarem tudo, esquecendo-se dos projetos perfeitos de Deus.
Mulheres como estas (citadas acima) saem de casa para ser a provedora do lar juntamente com seu esposo, afirmando que apenas desse modo terão uma vida confortável, darão conforto e boa educação a seus filhos, não passarão fome, terão viagens esplendorosas de férias e terão uma boa renda que cumule numa poupança gorda. Entenda que quem dá o sustento, o pão de cada dia e o teto não é você, nem o quanto você ganha, é Deus (Mateus 6.29-33). Sua felicidade e realização como mulher não deve se basear em um emprego fora e ascensão profissional. Assim como a mulher de Provérbios 31 trabalhava para completar a renda familiar, você também pode. Note que a mulher citada completava a renda e não os luxos (v.13). É hora de parar de acreditar no “ter para ser”, no mito na grama mais verde, na insatisfação crônica com o que se tem. Seu emprego, suas conquistas profissionais, seu tempo dedicado fora do lar não podem de maneira alguma ser prejuízo dentro de casa. Se assim você plantar, o que colherá é o amargo sabor de um fracasso familiar.
Não terceirizem a educação e o cuidado dos filhos, não deixem a educação mais importante (a bíblica) ser dada apenas pelo professor da EBD nos domingos. É um engano afirmar que o melhor para os nossos filhos são casa, cama, computador, celular mais caro, cursos de idiomas, natação e outras programações quaisquer. Eles carecem de palavras de sabedoria e instrução que emana no Trono de Deus e que é responsabilidade nossa repassar e forjar o caráter dos pequenos de acordo com Deuteronômio 6.7-9. Enquanto nós estamos preocupadas em dar conforto e tudo do bom e do melhor “que nunca tivemos e blábláblá” nossos filhos estão nus espiritualmente e miseravelmente pobres.
O Santo Deus nos fala por meio da sua Palavra em Romanos 12:1 “não sede conformados com este mundo, mas sedes transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Então, como queremos experimentar a vontade do Senhor se estamos entrando em conformidade com o padrão deste mundo? Querendo ser o homem e fazer as coisas que por Deus foi determinada desde a criação ao homem?
Devemos nos comportar e agir de acordo com o Espírito de Deus, SE É que o Espírito Santo habita em nós. E se Ele habita, como podemos abrir nossas bocas e declarar que agora não vivemos mais nós, mas é Cristo quem vive e reina, se ainda, por egoísmo, presunção, avareza, vaidade e toda sorte de obras pecaminosas, andamos segundo o curso desde mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que opera nos filhos da desobediência, andando no desejo da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos, agindo como filhos da ira (Efésios 2)?
São palavras duras, afiadas e que em nada agradam a nós mesmas, quem que pode ouvi-las e suportá-las? Mas, Jesus de Nazaré faz outra pergunta “Quereis vós também retirar-vos?” (João 6:67). E então, ainda que o discurso seja duro, a Palavra afiada a ponto de separar juntas e medulas, a porta estreita, caminho apertado, entendemos que o jugo é suave, o fardo é leve, e só Jesus tem as palavras de vida eterna e não temos para onde ir.
Que você possa ter compreendido e possa dobrar seus joelhos e orar, para que Deus segundo a Sua boa vontade, a levante como mulher corajosa, que será capacitada a lutar contra esse mundo que menospreza e esquece o verdadeiro significado e projeto para mulher. Que o Espírito fale e inflame seus corações e acenda brasas vivas em sua alma, para que você possa ser estimulada a seguir o caminho da virtude e ser vaso de honra nas mãos do Deus vivo para ser instrumento dEle no seu lar. E Tomando as palavras no Rev. Hernandes Dias Lopes, “que você seja a mulher virtuosa de nossa geração, amada por Deus, elogiada pelo marido, enaltecida pelos filhos e conhecida pelas suas boas obras”.
Lembre-se sempre que o que Deus instituiu é maior e melhor que nossos projetos pessoais. Despoje-se, pois, de ideias feministas e mundanas, caminhe em virtude para descobrir no Senhor, o modo que ele deseja que você viva.
Deus abençoe.
POR NATALI ALBUQUERQUE

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Meu Diário







Todos os dias abro a página do meu diário e escrevo nele todos os lindos sentimentos que me adornam o coração. E deleto todos aqueles que me fazem sofrer.
Suspiro agradecendo a Deus pelo seu lindo e precioso cuidado, pela vida, por tudo que me acontece no tempo e na hora de Deus, pois sabemos que Deus sabe todas as coisas e que a hora Dele nunca falha..
Grata por tudo! Lucia Izidoro

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Benção e Maldição na família de Noé

 
  
INTRODUÇÃO
Na aula de hoje estudaremos a respeito da profecia de Noé, impetrando maldição e benção sobre os seus filhos. Inicialmente destacaremos a plantação da vinha por Noé, e suas consequências imediatas. Em seguida, como se estabeleceu uma desgraça sobre aquela família. Ao final, destacaremos o cumprimento da maldição de Noé sobre os descendentes de Cam, e as bênçãos sobre Sem e Jafé. Essa também será uma oportunidade para refletir a respeito dos percalços pelos quais as famílias podem passar, bem como sobre o relacionamento entre pais e filhos.
1. NOÉ PLANTA UMA VINHA
Noé estava cumprindo sua missão cultural, trabalhando na agricultura, a fim de sustentar sua família. De certo modo seguiu a profissão do seu pai, Lameque (Gn. 5.28,29), e decidiu plantar uma vinha. A embriaguez sempre foi condenada na Bíblia, principalmente por causa das suas consequências para a vida das pessoas (Pv. 20.1; 23;19-21; Is. 5.11; Hc. 2.15; Rm. 13.13; I Co. 6.10; Ef. 5.18). Os israelitas não eram proibidos de tomar vinho com moderação, na verdade esse era considerado uma benção (Sl. 104.14,15; Dt. 14.26) e era usado também nos sacrifício (Lv. 23.13; Nm. 28.7). Isso, no entanto, não deve servir de estímulo para o consumo indiscriminado de vinho. Além disso, há pessoas que o melhor a fazer é manter distância, e seguindo a orientação de especialista, devem evitar até mesmo o primeiro gole. No caso de Noé, ao que tudo indica, colheu as uvas, as espremeu e depois aguardou que elas fermentassem. Ele fez algo que lhe trouxe vergonha, não apenas pela embriaguez, mas também por ter ficado nu. A pessoa que se entrega aos vícios acaba por fazer coisas fora do senso, que lhes colocarão em situações embaraçosas. É comum ver pessoas assumindo papeis vergonhosos por causa de bebidas alcoólicas. É lamentável que Noé, mesmo sendo reconhecido como o pregoeiro da justiça, e sobrevivido graciosamente ao dilúvio, tenha se colocado em uma situação vergonhosa. Uma das provas da veracidade da Bíblia é a sua honestidade em relação aos pecados dos homens e mulheres de Deus. Narrativas desse tipo estão registradas para que não venhamos a incorrer nos mesmos erros (I Co. 10.6-13).
2. A MALDIÇÃO DE NOÉ SOBRE CANAÃ
Quando Noé estava embriagado e nu em sua tenda, um dos seus filhos, Cam, entrou na tenda do pai, e o viu naquela situação. É possível que tenha se divertido ao vê-lo naquela condição deplorável. E mais que isso, tenha chamado seus irmãos para fazer o mesmo. A desonra de Cam antecipa o mandamento que viria a ser dado a Deus através de Moisés posteriormente, em relação à importância de honrar os pais (Ex. 20.12). Sem e Jafé, ao invés de seguirem o exemplo negativo do irmão, não quiseram humilhar o pai, antes o cobriram. Eles entraram de costas na tenda e cobriram o corpo nu do velho patriarca (Gn. 9.23). Há filhos que desonram seus pais, colocando-os em condições vergonhosas. Outros, porém, cuidam dos seus pais, com orgulho, e os preservam, principalmente na velhice. Em meio a essa sociedade utilitária, marcada pelo pragmatismo, é importante que os filhos não descartem seus pais. Por causa da humilhação imposta a Noé pelo seu filho Cam, este foi amaldiçoado. Na verdade, ele profetizou o futuro da descendência de Cam. O patriarca predisse três vezes que o filho de Cam se tornaria escravo, e seria servo desprezível. Na verdade, os cananeus vieram a ser um povo conquistado pelos israelitas, e se tornou instrumento de opróbrio (Gn. 15.18-21; Ex. 3.8, 17; Nm. 13.29; Js. 3.10; I Rs. 9.20). É importante ressaltar que a descendência de Cam nada tem a ver com a raça negra, como quiseram interpretar alguns racistas do passado. Essa foi uma visão equivocada, pautada no preconceito, para causar segregação.
3. AS IMPLICAÇÕES DA PROFECIA DE NOÉ
Em suas palavras Noé não apenas profetizou maldição, mas também bênçãos sobre o restante da sua família. Sem recebeu a promessa de que seria enriquecido por Deus, e se tornaria uma pessoa próspera. Da sua família viria Abraão, que se tornaria o pai de uma grande nação (Gn. 11.10-32). Mesmo sendo o segundo filho de Noé, Sem acabou tomando a primazia, por isso é comumente citado em primeiro lugar (Gn. 5.32; 6.10; 9.18; 10.1; I Cr. 1.4). Essa é uma demonstração do que acontece quando um filho se coloca debaixo da benção do pai. Os filhos desobedientes trazem para si a desgraça, muitos estão morrendo mais cedo do que deveriam, por causa da rebeldia (Ef. 6.1-4). Essa também é uma demonstração da graça de Deus, que necessariamente não abençoa o primogênito, mas aquele a quem Lhe apraz. Isso aconteceu com Abel (Gn. 4.4,5), Isaque (Gn. 17.15-22) e Jacó (Gn. 25.19-23). Em relação a Jafé, esses ficaram à sombra do seu irmão, e recebeu a benção através dele. Na verdade, este viria a dar origem aos gentios, que também foram agraciados por Deus. Nós também estamos na “tenda de Sem”, na medida em que Israel foi escolhido para ser “luz para os gentios” (Is. 42.6; 49.6). Não podemos esquecer que a salvação vem dos judeus (Jo. 4.22), e que o próprio Jesus era um judeu. Através de Jesus fomos agraciados pelo Deus de Abraão, Isaque e Jaco, tendo Ele trazido luz para os gentios (Lc. 2.32), que foi propagada pelos apóstolos a todos os povos (At. 1.8). A igreja continua tendo a responsabilidade de levar essa boa nova a todos as nações (Mt. 28.18,19).
CONCLUSÃO
As palavras de Noé, proferidas aos seus filhos, podem ser consideradas benção e maldição, e também profecias. Essas se cumpriram cabalmente na história de Sem, Jafé e Cam, e em relação a esse último, por ter humilhado ao seu pai, trouxe sobre si a desgraça. Estejamos, pois atentos às bênçãos de Deus, e não nos apartemos das nossas responsabilidades, sempre sóbrios e dispostos a levar o evangelho de Jesus até os confins da terra, no poder do Espírito Santo (At. 1.8).
BIBLIOGRAFIA
CLAUS, W. O livro do Gênesis. São Leopoldo: Sinodal, 2013.

sábado, 21 de novembro de 2015

Adjetivos do meu nome

                   
             Linda
             Única
             Carinhosa
             Inteligente
             Afável   

Doces recordações!

Lúcia Izidoro

Um brinde ao amor!


As circunstâncias dizem quem somos

Em meio as tormentas Deus está bem pertinho de você. Basta apenas uma palavra e tudo de faz calmaria...
Podes crê o capitão não abandonou o barco,ele está com você te erguendo,dando forças e te pondo de pé.
As vezes é necessário que certas coisas aconteçam para nos mostrar que Ele está no controle. Boa Noite pra gente!!!
Lucia Izidoro

Ser crente é ser feliz!


"O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos" (PV 17.23).
Este é o tipo de remédio que nossa sociedade doente precisa. A alegria em servir a Jesus, nos ajuda a espalhar este remédio alegre de Deus sobre um mundo que não sorri...
Boa Noite!-------- Lucia Izidoro